D… o quê?!

O nome pareceu estranho mas, o som nem tanto. Vi algumas pessoas falando de uma tal banda Dônica e logo fui atrás de saber mais sobre.

Em tempos de Google/Youtube não tem porque não experimentar um pouquinho de tudo, né?

Ao primeiro som, curti já de cara. Meio 70s, meio atual. Sei lá.

Aí no vídeos tinha também um da Rolling Stones entrevistando a banda e nossa, são uns meninos. 17, 18 anos eles têm. Dizem eles que as influências vieram do som que os pais ouviam em casa desde sempre.

Há quem os compare fortemente com a banda Clube da Esquina e tem também os que dizem que a notoriedade maior vai pro Tom Veloso, filho é claro de você-sabe-quem.

Na verdade, no início Tom entrou apenas como compositor. Tinha vergonha de se apresentar pro público, nas palavras dele “Não se achava capaz”. Eu até entendo, porque imagina a pressão da comparação com o pai… Chato, pra dizer pouco né?

O primeiro álbum foi lançado em 2015 e se chama “Continuidade dos Parques”. Só aí já dá pra entender minha simpatia. Entretanto, nem tudo são flores e o CD deles não está disponível para download grátis já que vem assinado por um grande gravadora. Uma coisa meio soamos alternativos mas até que ponto nós somos. Humm…

Sem julgamentos, se entrega pra esse som que eles gravaram em parceria com padrinho da banda desde o comecinho, Milton Nascimento.

E aí, vai ouvir mais?

 

Co-fundadora do Reuse Ideias, quero compartilhar com vocês, reusar e propagar as melhores ideias que ver por aí. A partir dessa consciência sobre as coisas não dá pra ficar indiferente. Transformando a mim mesma acredito que posso microtransformar alguma coisa no mundo também! E você?